A Morte no Ambiente de Trabalho

15 Sep 2015

 

Situações de perda nem sempre são bem recebidas pelas empresas. Entretanto, a morte é um fato, e ignorar suas ressonâncias no local de trabalho pode trazer riscos à saúde do trabalhador. Sendo assim, torna-se necessário absorver o impacto dessa crise e reorganizar o o funcionamento da equipe.

 

 

É preciso dar espaço para o luto no trabalho!!!

 

 

A morte é um evento que afeta diversos aspectos da vida de uma pessoa, alterando a maneira como ela se relaciona com os demais e provocando, temporariamente, certadesorganização.

 

Cada um irá vivenciar seu luto de um jeito único, havendo um grande número de reações que podemos observar, entre elas: choque, negação, raiva, hostilidade, dores no corpo, estresse, confusão mental, déficit de memória e atenção, disturbios do sono e isolamento social.

 

No ambiente de trabalho, a pessoa pode ficar suscetível a erros, enganos, desconcentração e perda de foco. Outra reação comum é voltar-se totalmente para a vida profissional, sem descanso, como forma de superar o momento difícil.

 

 

Gestores e colegas têm um papel fundamental

para ajudar o funcionário a superar esse momento.

 

 

O QUE FAZER QUANDO UM FUNCIONÁRIO ESTÁ DE LUTO?

 

  1. Conhecer o luto: é importante que os gestores entendam como ele se manifesta, saibam o que esperar em termos de comportamento e identifiquem possíveis sintomas.

  2. Funeral: respeite a vontade e a privacidade do funcionário. Caso ele queira que as informações sobre a cerimônia sejam divulgadas, a presença dos colegas pode ser um suporte importante.

  3. Retorno ao trabalho: não finja que nada aconteceu. É importante mostrar solidariedade, acolhendo a dor do outro e respeitando seu momento de tristeza.

  4. Gestores: é comum o profissional ter fantasias de que seu processo de luto será visto como sinal de fraqueza e que será prejudicado por isso. Os gestores precisam dizer claramente que entendem e respeitam esse período difícil e que sabem que o funcionário poderá não estar tão produtivo.

  5. Colegas: precisam mostrar-se abertos, mas é a pessoa que irá demonstrar o quanto está disponível para conversar e com quem.

 

Ofereça ajuda: colegas podem se oferecer para assumir temporariamente tarefa práticas de trabalho que são de responsabilidade daquele que está de luto.

 

Caso gestores e colegas percebam que o período de luto está se estendendo muito ou que o sofrimento do funcionário está muito intenso, é importante acionar o RH para que ele seja encaminhado para atendimento com um psicólogo ou psiquiatra. Mas isso não quer dizer, necessariamente, que ele precisa ser afastado do trabalho.

 

Para saber mais sobre o luto: www.flordecerejeirapsicologia.com.br.

 

 

 

Please reload

Arquivo
Please reload

Tags
Please reload

Siga-nos
  • Wix Facebook page
  • Instagram Social Icon

Flor de Cerejeira Instituto de Psicologia

contato@flordecerejeira.net

Tel e Whatsapp: (19) 3243-8284

Unidade I - Campinas

Rua Camargo Pimentel, 918 - Guanabara

Unidade II - Jundiaí

Rua Giácomo Ítria, 126 - sala 4 - Anhangabaú